terça-feira, 9 de novembro de 2010

'do grego Éthos.

Hoje, enquanto me fartava de ouvir o rais'parta do gajo a falar de ética e moral, pensava para mim que falta de ética era ser forçada a ouvir aquela tretalhada toda. No meio de filosofias e frases feitas, diz ele "porque quando sabemos o que queremos, fazemos o que queremos. Porque mesmo que saibamos que não é o mais correcto, pedimos uma segunda opinião e uma terceira e uma quarta. Quantas forem preciso para que encontremos a que seja de acordo com o nosso desejo." E não é que até disse uma coisa acertada (?). Temos todos a mania que somos diferentes, que não somos animais regidos pelo apetecer, mas a verdade é que, quando decidimos querer uma coisa, quando o desejo está lá e não dá de frosques, damos um grande pontapé na ética, na moral e nos bons princípios e lá vamos nós, contentes da vida, conseguir o nosso prazer momentâneo. E é aí que está o senão: é um bom segundo, pelo qual viramos costas a toda uma integridade. Passamos a vida a fazê-lo e a encaixotar remorsos no armário dos fundos. Errar é humano? Oh, se é.

2 comentários:

  1. Isto lembra-me uma coisa que li estes dias: dizia Epicuro que o Homem tem duas necessidades básicas, bem antes do comer: o Homem procura o prazer e evita a dor.
    A ética é racional mas não é 'básica', basta um escape para se enveredar pelo caminho que dá mais prazer ou menos dor (talvez seja o mesmo).

    ResponderEliminar
  2. Hola! Eu no falo muinto portugues (menos escribo!!!) mais entendo tudo que voÇe escribes (casi).
    Beijinhos de medico filha de portuguesa a medico portuguesa!

    ResponderEliminar