quinta-feira, 2 de setembro de 2010

(im)perfection.

Falavam-me em recomeçar: construir o "tudo" do "nada". Tentavam negar-me o passado e afirmar-me um futuro. Já eu, por agora, defendia que, enquanto não existissem lobotomias parciais, as memórias e mágoas não poderiam ser colocadas na pasta da "reciclagem" e eliminadas definitivamente. A simplicidade requereria que deixássemos a "lista de exigências" de parte, mas hipócrita é aquele que nega querer atingir a perfeição, mesmo que esta não exista. 

1 comentário:

  1. Como já te disse, acho que escreves de forma fantástica. Tem sido um prazer conhecer-te melhor. Pena que não tenha sido mais cedo, mas antes tarde do que nunca :D

    Beijinhos***

    ResponderEliminar