sexta-feira, 9 de julho de 2010

um livro aberto.

Cumpres, passo-a-passo, as pedras da calçada, ondulando os movimentos que te tornam característica. Elevas os braços e desterras os pés do chão, na tentativa de alcançar o infinito. Procuras e procuras. Esperas e esperas. Fitas os segundos que se afastam do tempo e percebes que o relógio não marca a hora certa. Desprendes-te de preocupações e a leveza de seres mais do que algum dia imaginaste liberta-te. Percorreste o teu caminho e lutaste contra tempestades. Aprendeste a ser o teu próprio porto seguro. É chegada a hora de levantar a âncora.

Sem comentários:

Enviar um comentário