quinta-feira, 29 de abril de 2010

tic-tac

Dei ontem por mim a ouvir as palavras de alguém que dizia, com sabedoria, que o tempo passa por nós a voar. Que há aqueles que chegam ao fim de uma etapa e não conseguem conter as lágrimas, porque os momentos que deixaram marca foram tantos. Que podes escolher fazer o teu percurso sozinho, ou olhar para ambos os lados e perceber e valorizar cada pessoa que te ajudou a mais um passo. Só consegui pensar para mim " Mesmo que o tempo voe, mesmo que os momentos sejam tantos e ao mesmo tempo tão poucos, mesmo que as lágrimas da saudade caiam incessantemente, mesmo que pareça que é um fim, nunca o é verdadeiramente. As memórias hão-de preencher-me sempre. Hão-de fazer de mim a pessoa que sou hoje e que serei amanhã. Hão-de fazer-me sempre acreditar que, de facto, a vida pode ser bela, se não estivermos constantemente preocupados em olhar o relógio e contar os minutos que passam. Se deixarmos o tempo ser parte de nós, não como limitante do que podemos ou não fazer, mas como um sopro infinito de vida."

Sem comentários:

Enviar um comentário